31 de outubro de 2012

Se não fosse pela discreta despedida - Volkswagen Parati

A Volkswagen Parati chegou ao Brasil no ano de 1982, com a missão de se tornar a perua mais vendida do país e compor a família Gol. Cumpriu bem o seu papel, se tornou a perua líder de vendas e concorrendo diretamente com a Palio Weekend, da Fiat, que hoje é a perua mais bem sucedida no mercado. Depois de 30 anos de produção, a Parati se despediu de seu público de forma discreta, devido à grande queda de vendas e ainda por cima não sofreu alterações, como nos Gol e Voyage. 
Foi desenvolvida no blog uma projeção de como seria a Parati se chegasse à geração 5, clique aqui para visualizá-la, mas agora será apresentada a projeção de como seria a mesma na chamada "geração 6", de acordo com os novos Gol e Voyage.
As caracteristicas do Gol estão presentes na perua, acompanhando as mudanças do carro, traseira menos inclinada, como na SpaceFox compoem esta nova perua.
Na traseira, o mesmo padrão do Gol, assemelhando-se nas lanternas e no parachoque traseiro.

Espero que gostem e comentem!

7 comentários:

  1. Ficou legal, mas acredito que precisaria de uma maior modificação para bater de frente com o Palio Week.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Bruno, a proposta desta projeção foi de deixar o carro mais sóbrio, as modificações seriam mais radicais na versão Track & Field, mas não desenvolvi esta por falta de tempo.

      Excluir
    2. otima ideia bela projeçao

      Excluir
    3. Obrigado pelo comentário Anderson

      Excluir
    4. Se fizessem a Nova Parati com os faróis trazeiros semelhantes ao da Nova Saveiro ficaria bem melhor, a VW da mole de parar de fabricar esse carro, a Parati é sem dúvida alguma melhor em todos os aspéctos que o Spacefox, sinceramente não sei o motivo da VW gostar tanto do Fox e seus derivados que são feios.

      Excluir
  2. Quando é vai sair nova parati 2013?

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente a Parati já saiu de linha no final do ano passado Ricardo, em consequencia do pouco número de vendas e o mercado escasso das peruas.

    ResponderExcluir